4 dicas para escolher a equipe certa

Uma das funções mais difíceis para um gestor é a formação da equipe, pois essa é a área da empresa que envolve mais emoções nas ações corriqueiras. Não é possível controlar as emoções, o humor, a postura e as intenções das pessoas que estão trabalhando ao lado. Por isso, ter sensibilidade para calcular possíveis comportamentos fará toda a diferença.

Não é possível prever o futuro dos relacionamentos profissionais, mas vendo o padrão comportamental e emocional de cada pessoa, será possível tomar decisões mais assertivas. A equipe é a cara da sua empresa, com ela você vai ter contato com o cliente e fidelizar. Veja o que você precisa observar para formar uma equipe engajada e eficiente.

1. Estilo pessoal do funcionário

É importante que a forma como o profissional fala, se veste e se expressa, esteja de acordo com o clima e o ambiente da sua empresa. Se um profissional muito comunicativo trabalhar com uma equipe mais calada, irá ser o chato da equipe ou se submeterá ao silêncio e se sentirá preso.

Se os profissionais de uma empresa forem mais vaidosos e cuidarem mais da aparência, uma pessoa que não se preocupa com isso poderá se sentir inferior ou ser excluída pelos colegas por ser diferente. A equipe precisa de um perfil ou interesse em comum, para que haja engajamento. A comunicação profissional também  é, em certa medida, emocional. Por isso, quando escolher uma pessoa para a sua equipe, não avalie apenas o currículo, mas sua postura e forma de se relacionar.

2. Perceber habilidades predominantes

Algumas pessoas são boas em executar tarefas, mas florescem quando lideram, outras são ótimas planejadoras, mas não sabem comunicar suas intenções com o grupo. É importante que cada pessoa fique na posição em que ela mais é capaz de suprir e essa capacidade não se resume apenas às suas ações, mas também às suas ambições como profissional.

Testes práticos no momento da entrevista podem revelar em qual posição cada pessoa se encaixa melhor e também quais as suas maiores dificuldades.  Assim, você também poderá imaginar com mais informações como poderá acontecer o entrosamento entre essa pessoa e o restante da equipe.

3. Interação da equipe

Falando em entrosamento, é muito importante avaliar como cada pessoa lida com pressões e reage em momentos críticos, como as pessoas comunicam o que elas querem ou não querem. Conhecer cada um dos 4 temperamentos irá ajudar um avaliador a conhecer melhor o candidato que está diante dele e compreender como ele se relaciona com o próximo.

4. Interesses pessoais

Tem pessoas que são ambiciosas, querem crescer financeiramente, serem respeitadas e admiradas. Esse status é próprio de pessoas que almejam posições de liderança ou que lhe permitem alguma autoridade. O segundo perfil são de profissionais que valorizam a segurança e a tranquilidade acima de tudo, por isso não se importam de serem lideradas desde que isso aconteça com respeito e empatia. O terceiro perfil tem o interesse focado na família e na necessidade de pagar as contas, eles querem o salário no fim do mês e fazem o básico para que isso aconteça, não vestem a camisa da empresa, são ótimo para realizar serviços mais padronizados.

Se você colocar uma pessoa que tem perfil de liderança para ser liderada, poderá haver boicotes e conflitos entre a equipe. Um líder que não veste a camisa da empresa passa insegurança para toda a equipe. Não existe perfil melhor ou pior, todos são adequados se forem distribuídos da forma correta.

Leia também Como treinar equipe para falar do programa fidelidade

Há 2 meses atrás
Facebook Twitter YouTube LinkedIn Instagram

Baixe nosso E-book Grátis